Categorias
Negócios & Gestão

Parceria

Se vai abrir um negócio e este pertencer (e for administrado) a/por várias pessoas (duas ou mais), mas sem tantas formalidades, estruturar seu negócio como uma Parceria pode ser o que você precisa.

Um negócio de parceria é uma das formas mais comuns de administrar um negócio.

A Parceria é uma estrutura de negócios bastante simples e não requer nenhum procedimento complicado para iniciá-la. Se o negócio for mantido de maneira adequada, ele pode acabar sendo muito bem-sucedido. Portanto, é sempre aconselhável ter cuidado ao formar uma parceria. Um acordo formal pode ajudar imensamente num estágio posterior. A final, coisas podem mudar, mesmo que tudo comece bem.

Esta estrutura tem muitas semelhanças com a estrutura de comerciante individual. Porém, esta forma legal tem umas vantagens que a de comerciante individual não tem; mas de outro lado, a parceria comercial tem também umas desvantagens em comparação ao comerciante individual.

👉Leia sobre Comerciante Individual

1. Vantagens de uma parceria de negócios

1.1. Configuração ou instalação fácil

Assim como a estrutura de Comerciante Individual, a Parceria Comercial tornou-se popular devido às suas muitas vantagens (cujas principais verá neste artigo) – incluindo a facilidade de configuração e/ou instalação. Se você deseja ter esta estrutura para o seu negócio, apenas precisa de ter ao menos um parceiro – esta estrutura requer no mínimo, duas pessoas. Quando se é apenas uma pessoa, não é mais uma parceria; mas sim, Comerciante Individual.

⚠Parcerias são comuns em amigos e familiares e, requerem um bom nível de confiança mútua.

Também, uma Parceria Comercial ou Empresarial tem a falta de formalidade – em comparação com a gestão de uma Companhia Limitada ou Sociedade Anónima – como uma de suas vantagens. O que facilita e acelera a configuração.

Veja alguns dos pontos (ou dicas) por considerar quando desejar criar uma Parceria

1.2. Fardo dividido e reduzido

No Comerciante Individual, mencionamos o facto de você ser o único dono (e gestor), o que também significa todo fardo – dívidas, problemas, etc – recai sobre você apenas. Aqui, você e seu(s) parceiro(s) dividem as despesas e responsabilidades.

Comparado a operar por conta própria, como um Único Comerciante, ao trabalhar numa parceria de negócios, você pode beneficiar-se do companheirismo e do apoio mútuo. Começar e gerenciar um negócio sozinho pode ser estressante e assustador, principalmente se você nunca tiver feito isso antes. Mas numa parceria, vocês estão juntos.

👉Veja dicas para escolher um bom parceiro

1.3. Acesso a conhecimentos, habilidades, experiências e contactos

No Comerciante Individual, também mencionamos que você faz tudo por si (no que se refere a administração)… numa Parceria, cada parceiro trará seus próprios conhecimentos, habilidades, experiência e contactos para o negócio, potencialmente dando a ele uma chance melhor de sucesso do que qualquer um dos parceiros que negociam individualmente.

Os parceiros podem dividir tarefas; cada um pode especializar-se nas áreas em que são melhores e mais apreciam, por exemplo. Portanto, se um parceiro tem experiência financeira, ele pode se concentrar na manutenção dos livros da empresa, enquanto outro pode trabalhar extensivamente em vendas e, assim, assumir a responsabilidade por esse lado do negócio. Por outro lado, como um unico comerciante, você teria que fazer tudo isso sozinho (ou gerenciar alguém que você empregasse para fazer parte).

1.4. Melhor tomada de decisão

Em comparação com operar por conta própria, numa parceria, o negócio beneficia-se da perspectiva única de cada parceiro. Nos negócios, como em muitos casos, muitas vezes duas cabeças realmente pensam melhor do que uma, com a conclusão combinada de debater uma situação muito melhor do que cada parceiro poderia ter alcançado individualmente.

1.5. Propriedade e controlo são combinados

Numa Sociedade Limitada, por exemplo, a propriedade e o gerenciamento diário da empresa são divididos entre accionistas e directores (embora nalguns casos sejam as mesmas pessoas). Isso pode significar que os conselheiros são limitados pelas preferências dos accionistas em buscar o que consideram o melhor interesse do negócio. Em contraste, numa parceria de negócios, os parceiros possuem e controlam o negócio. Contanto que os sócios possam concordar em como operar e impulsionar a parceria, eles são livres para perseguir isso sem a interferência de quaisquer accionistas. Isso pode tornar um negócio de parceria potencialmente mais flexível do que uma Lda, com a capacidade de se adaptar mais rapidamente às novas circunstâncias.

1.6. Mais parceiros, mais capital

Quanto mais parceiros houver, mais dinheiro poderá haver de seus recursos combinados para investir no negócio, o que pode ajudar a impulsionar o crescimento. Juntos, sua capacidade de endividamento também provavelmente será maior.

1.7. Fácil acesso aos lucros

Numa Parceria Comercial, os lucros do negócio são compartilhados entre os parceiros. Eles fluem directamente para as declarações de impostos pessoais dos sócios, em vez de inicialmente serem retidos na sociedade – como é o caso das LDAs e SARLs

👉Veja os outros tipos de estruturas ou formas legais

2. Desvantagens de uma Parceria de Negócios

Embora haja muitos benefícios num Negócio de Parceria, há igualmente uma série de desvantagens por considerar. A seguir, veja algumas das mais críticas.

2.1. A empresa não tem personalidade jurídica

Assim como num negócio de Comerciante Único, uma parceria de negócios não tem uma existência jurídica independente distinta dos parceiros: isto significa que a empresa e seus proprietários são, legalmente, pessoas únicas – a menos que haja um acordo da parceria com cláusulas alternativas estabelecido; leia sobre “tipos de parceria“, ainda neste artigo, para entender melhor.

Isto leva à próxima desvantagem 

2.2. Responsabilidade ilimitada

Sendo que a empresa com a estrutura de parceria não tem personalidade jurídica distinta, os sócios são pessoalmente responsáveis ​​pelas dívidas e perdas incorridas. Portanto, se a empresa tiver problemas, seus activos pessoais podem correr o risco de serem confiscados pelos credores, o que geralmente não seria o caso se a empresa fosse uma Lda ou SARL.

⚠Os sócios são solidariamente responsáveis. 

Como um parceiro pode vincular a parceria, você pode efectivamente ver-se a pagar pelas acções dos outros parceiros. Se seus parceiros não conseguirem saldar dívidas, você será responsável por fazê-lo. Num exemplo extremo, onde você possui apenas 10% da parceria, se seus parceiros não têm activos, você pode acabar tendo que saldar 100% das dívidas da parceria e precisar vender seus bens para fazer isso.

2.3. Falta de prestígio

Isto inclui:

  • A dificuldade de obter financiamento (leia o ponto 2.2 aqui

Embora seja provável que uma combinação de sócios possa contribuir com mais capital do que um Comerciante Individual; uma parceria, muitas vezes ainda achará mais difícil levantar dinheiro do que uma Companhia Limitada ou Sociedade Anónima.

Os bancos podem preferir maior transparência contábil, personalidade jurídica separada e senso de permanência que uma sociedade limitada proporciona. Na medida em que um negócio de parceria é visto como um risco mais elevado, um banco não estará disposto a emprestar ou apenas o fará em termos menos generosos.

Várias outras formas de financiamento de longo prazo não estão disponíveis para parcerias. Mais importante ainda, uma esta estrutura não pode emitir acções ou outros títulos em troca de investimento da maneira que uma sociedade limitada pode fazer.

  • Menor atracção para os clientes (leia o ponto 2.3 aqui).

Assim como um Comerciante Individual, o modelo de negócios de parceria, muitas vezes, parece carecer do senso de prestígio mais associado a uma Lda e SARL. Principalmente pela falta de uma existência independente, além dos próprios sócios; as parcerias podem parecer empresas temporárias, embora muitas sejam de facto muito duradouras.

Essa aparência de impermanência, e o facto de que as finanças da parceria não podem ser verificadas de forma independente e oficial, podem parecer apresentar mais risco. Por causa disso, alguns clientes preferem negociar com uma Lda ou SARL – outros, simplesmente recusam-se a negociar com uma parceria.

2.4. Potencial para diferenças e conflitos

Ao entrar no negócio como uma Sociedade ou Parceria Comercial, em vez de um Único Comerciante, você perde sua autonomia. Você provavelmente nem sempre vai conseguir o que quer, e cada parceiro precisará demonstrar flexibilidade e capacidade de fazer concessões.

Haverá potencial para diferenças, grandes ou pequenas, com outros parceiros. Isso pode estar relacionado a:

  • A direcção estratégica que a empresa deve seguir (ou como chegar lá)
  • Como lidar com qualquer número de questões comerciais discretas que possam surgir
  • Visões diferentes sobre como os parceiros devem ser recompensados ​​quando colocam diferentes quantidades de tempo, habilidades e nível de investimento no negócio
  • Ambição. Alguns podem querer dedicar todos os momentos do dia para crescer e desenvolver o negócio, enquanto outros podem querer uma vida mais tranquila

⚠As diferenças podem não ser evidentes imediatamente. Com o tempo, as preferências, situações pessoais e expectativas dos parceiros podem mudar.

⚠Por tanto, o facto de eles estarem alinhados no início está longe de ser uma garantia de que rachaduras não aparecerão mais tarde.

Desentendimentos e disputas podem não apenas prejudicar os negócios, mas também prejudicar o relacionamento entre os indivíduos envolvidos. O conflito pode ser uma grande distracção, absorvendo o tempo, a energia e o dinheiro dos parceiros.

É por isso que geralmente é aconselhável redigir um acordo de parceria (às vezes chamado de escritura de parceria) ao formar a parceria comercial. Este documento garante que os respectivos direitos e responsabilidades dos sócios sejam consagrados, e que haja um entendimento comum dos procedimentos a serem seguidos em caso de litígio. Se a parceria precisar ser dissolvida, o acordo de parceria também detalhará o que acontecerá.

2.5. Tomada de decisão mais lenta e difícil

Em comparação com a gestão de uma empresa como Comerciante Individual, a tomada de decisões pode ser mais lenta, pois você precisará consultar e discutir assuntos com seus parceiros. Onde você discorda, tempo será gasto negociando para construir um acordo ou consenso. Às vezes, isso pode significar que oportunidades são perdidas. Mais frequentemente, isso frustrará um parceiro que está acostumado a tomar todas as decisões para seus negócios.

2.6. Os lucros devem ser compartilhados

Num nível básico, enquanto um Comerciante Individual retém todos os lucros de seu negócio, os de uma parceria são compartilhados entre os sócios.

A divisão dos lucros de maneira equitativa pode levantar questões difíceis.

  • Como você avalia as respectivas habilidades dos diferentes parceiros?
  • O que acontece quando um dos parceiros dedica menos tempo e esforço à parceria, mas ainda assume sua parte dos lucros?

⚠É fácil ocorrer ressentimento se não houver um equilíbrio justo entre esforço e recompensa.

2.7. Pessoalmente exigente

Embora haja pelo menos uma outra pessoa com quem compartilhar a preocupação e a carga de trabalho, em um negócio de parceria os parceiros ainda são essencialmente a empresa. Pode absorver muito tempo e energia e atrapalhar seu equilíbrio entre vida e trabalho, principalmente quando você acaba cobrindo outros parceiros que não têm uma ética de trabalho tão forte. Em contraste, em uma sociedade limitada é mais fácil para os proprietários do negócio – seus acionistas – nomearem diretores para administrar o negócio, pelo menos no dia a dia.

2.9. Limites no desenvolvimento de negócios

Várias das outras desvantagens que examinamos combinam para conter o crescimento da maioria das parcerias. Isso não preocupará muitas empresas com expectativas modestas de expansão. Mas, para qualquer empresa que busca um crescimento massivo, uma combinação de responsabilidade ilimitada, falta de oportunidades de financiamento e falta de status comercial aos olhos do mundo dificilmente é a receita perfeita para o sucesso.

A falta de personalidade jurídica também se torna importante aqui. Sem ele, a empresa não pode possuir propriedade, celebrar contractos ou tomar empréstimos por direito próprio, dificuldades que se tornarão mais difíceis de contornar à medida que o negócio crescer.

As opções para os sócios eventualmente saírem do negócio e lucrar com ele podem ser complicadas, especialmente se for possível que a saída de um dos sócios em uma data anterior destrua o negócio. Embora seja possível para um ou mais parceiros vender sua parte nos negócios da parceria, as estratégias de saída podem ser mais fáceis de gerenciar dentro de uma estrutura de empresa limitada.

👉Veja os outros tipos de estruturas ou formas legais

3. Tipos de Parcerias

Uma parceria é uma das formas de abrir uma empresa. Envolve duas ou mais pessoas que desejam iniciar um negócio juntas como sócias com uma visão comum de lucro.

⚠Dependendo das leis de cada país, as parcerias podem ser Gerais ou Limitadas.

Numa Parceria Geral, seus parceiros, encaixam perfeitamente bem em todas descrições mencionadas nos pontos 1 e 2 deste artigo.

Por outro lado, numa Parceria Limitada, pode haver:

  • Sócios gerais
  • Sócios limitados

Cada categoria pode compreender um ou mais indivíduos.

O Sócio Geral é responsável pelas dívidas e obrigações contraídas pela empresa, assim como na parceria geral – ou simplesmente, tudo que mencionaamos nos pontos 1 e 2. 

O Sócio Limitado, por outro lado, apenas investe uma certa quantia de dinheiro no negócio como capital e não pode ser responsabilizado pelas dívidas contraídas pela empresa além do valor que ele contribui. Este sócio não é responsável por prejuizo algum da empresa, apenas fica a espera dos lucros, segundo a percentagem combinada. Porém, de outro lado, este parceiro não toma decisão nenhuma na empresa.

Os parceiros limitados, tipicamente, não tomam decisões na empresa (se forem investidores apenas) – a menos que participem na gestão do negócio.

Por outro lado, os parceiros gerais – os donos da empresa – têm todo o poder, tomam todas decisões na empresa e, consequentemente, estes assumem a responsabilidade do negócio (perdas, ganhos, dívidas, etc).

Leia mais

👉Outros tipos de estruturas ou formas legais

👉O que considerar quando escolher a estrutura do seu negócio


Este artigo foi útil para si?

Clique nas estrelas para avaliar

Average rating 0 / 5. 0

Lamentamos este artigo não tenha sido útil para si!

Por favor, diga-nos como podemos melhorá-lo!

Aprenda & Ganhe - e Partilhe ❤